I( )m( )press(i)on( )Net
   
 



BRASIL, Sul, FLORIANOPOLIS, COQUEIROS, Homem, de 36 a 45 anos, Portuguese, English, Arte e cultura, Livros
 

  Histórico

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis
 VivaSP




 

 
 

Fractodimensão

Multi face...
Multi plano...
Fracto, fração...
Metro organo...
Vórtice,...
Espiral,
Difração...
A realidade não é lisa, linear, bipolar...
Complexa,
Multi morfa,
Trans morfa...
Na certeza há sempre loucura...
Na razão... só há procura...



Escrito por Lárimer Daniel às 08h56
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Distância e Tempo

Cai a noite, cala...
Some a fala, silencio cresce...
Como o tempo nos separa...
Como a luz desaparece...
Passa a vida curta e rala...
Sobra luta dura e fria...
Somem no ar as fantasias...
Vive a coragem e acalma...

Há não sei que felicidade...
Entre mim e a incerteza...
Lutar é minha verdade...
Os meus a minha leveza...



Escrito por Lárimer Daniel às 08h46
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Reveillon

Se paro no tempo,
Contemplo...
Se destino traço,
...
Disparo...
Sou o que faço,
Não calo...
Visão que muda,
Desnuda...
Alcança universo
Transpassa,
O tempo não marca...
Compasso,
Descarta, transforma,
Espaço...
Destrói e revive,
Cansaço...
Reluz e refaz-se...
Renasce...



Escrito por Lárimer Daniel às 16h47
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

A oportunidade

A luz inconfundível do Outono transpassa corações, idéias, suposições...
O Azul inunda o ar,
recorta horizontes, faz luzir no mar
a prata das águas...
O outono é essa oportunidade que temos...
Ao começar o dia...

ao começar o dia...



Escrito por Lárimer Daniel às 10h42
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Close ebcounter

Gigantesco e sábio...
O tempo por aliado...
O imenso é minha morada...
No silencio azul guardião da vida...
testemunho... tudo que pulsa vale...
o menor, o pequeno, se respira é precioso mistério...
compreendo e sou o fluído espaço...
há tanto o que fazer, percorrer... há tanto a dizer...

Lárimer Daniel
Imagem: Howard Hall https://www.youtube.com/watch?v=f7-y8LC50r8#t=18


Escrito por Lárimer Daniel às 10h32
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Se os personagens HQ fossem reais 4

Da série "Se os personagens de HQ fossem reais..."
Bruce Wayne passou a vida torturado pelo testemunho da morte violenta dos pais... 
Recluso, discreto, sua vida nunca rendeu muito aos paparazzi, até que começou a ser visto na companhia de um jovem desconhecido. Convidado a uma festa, promovida por uma revista especializada em celebridades, causou um certo anti-clímax ao comparecer desacompanhado.
O conglomerado que comandava sofreu alguns abalos quando tentou lançar uma linha de ferramentas e produtos aparentemente voltados ao mercado "do it yourself", mas cuja utilidade era difícil de entender, como a "corda que permitia escalar edifícios", ou um cinturão com o que pareciam ser diversas pochetes.
Seu grande erro empresarial foi a tentativa de lançar um automóvel cujo design não agradou, por muito extravagante, por ser muito grande, mas para apenas uma pessoa, entre outras razões...
Deprimido pelos boatos a respeito da sua sexualidade e pelas notícias falsas dos tabloides, consta que deixou o comando das empresas para uma equipe profissional e passou a se dedicar a causas humanitárias na África. Faz muito tempo que não é visto em ocasiões de maior publicidade.



Escrito por Lárimer Daniel às 09h03
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Poem on-line reta

Não tenho método nem rigor,
Broto das fontes true type coração...
Ideias bit tempo fração,...
Rimando vida e imprecisão...

Nunca conheci quem tivesse tomado "cornetada"...
Eu que me esquivei das possibilidades, off-line....
A quem as filosofias google pesquisei...
E cuja possível grandeza não escrevi... digitei...

Sou essa coisa não coisa, hexadecimal...
Existo não corpóreo zeros e uns,
Sou latente, fluido . . . porém, real...
Às vezes mais real do que alguns...

Larimer Daniel
21/08/2013 - Poema criado e digitado diretamente no Facebook

Editado em 29/10/2016



Escrito por Lárimer Daniel às 10h54
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Meus três amores

Eu sou um "monogâmico biciclo"... ou seja: sou fiel à uma mulher... mas meu coração vagabundo se divide entre duas bicicletas... Então hoje, depois de mais uma reconciliação fiz esse poema...

Poema do domingo de manhã

De vocês me afasto sem aviso......
Depois dos sóis e do tempo de céu liso...
Me recolho, me sento, me ausento...
E vocês se calam em seu lamento...

Passam os dias, vão noites...
Semanas e meses eu adio...
Entre afazeres, lutas e rumores...
Mas é verdade que também vadio...

E tardo a procura-las meus amores...
Meu corpo pedindo o seu contato...
Coração e pulmão e olfato...
A reclamar pulsão e mais suores...

E quando finalmente as encontro...
Uma vez mais as duas me recebem...
Uma vez mais a pelo menos uma eu traio..
Porque, enfim, é só com uma que eu saio...

E corro os campos com o mar em volta...
E sinto o vento que minha pele assopra...
O sol e o céu azul que se desdobra...
E me pergunto sempre, do reencontro....
Por que tanta demora?

Larimer Daniel
17 07 2016



Escrito por Lárimer Daniel às 12h01
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Personagens de ficção na vida real 3

Outro que teve trajetória conturbada foi Tony Stark. Cansado das chantagens do governo americano e praticamente falido após a crise de 2008, resolveu expandir seus negócios nos BRICS e em mercados alternativos, de preferência que oferecessem incentivos fiscais. Foi visto em festas em companhia de Vladimir Putin, o que levou o congresso americano a abrir uma CPI para investiga-lo.
Tentando mudar de ares veio conhecer o Brasil em 2010. Encantado com o clima de otimismo e com a beleza e o charme da mulher brasileira, logo decidiu abrir fábricas no Nordeste, certo de que assim seria aceito por ajudar a mitigar a pobreza. Foi surpreendido pela visita de um "assessor especial da Presidência" que o aconselhou a abandonar a ideia das fábricas no Nordeste e coloca-las no Rio de Janeiro, supostamente por causa dos eventos esportivos que se avizinhavam. Um brasileiro amigo desvendou-lhe o mistério, alertando que ele não devia mexer nos rincões onde a ajuda do governo é fundamental para as famílias...
Apesar de contrafeito, em face do seu perfil de herói, Tony concordou em participar dos investimentos da Petrobras... Sempre pensando em se integrar na cultura local, contratou executivos brasileiros. Tony foi domando sua cultura de resultados e de controles rigorosos à medida em que via os sucessivos estouros de orçamento serem recebidos com tranquilidade pelo governo. Descobriu que podia pedir empréstimos bilionários a juros subsidiados no banco estatal de fomento. Viu ali a oportunidade de reerguer seu império.
A grande surpresa de Tony, porém, ocorreu apenas quatro anos depois de iniciar sua aventura na América Latina. Numa manhã de inverno em seu apartamento em Nova York, viu os seus executivos brasileiros nas capas das principais revistas locais, e em chamadas internas nos jornais internacionais. Seu grupo estava envolvido nos maiores escândalos da história ...
Desiludido, consta que pegou o que lhe restava (e não era pouco) e fugiu em seu iate, zarpando para destino até hoje ignorado...



Escrito por Lárimer Daniel às 12h23
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Personagens de ficção na vida real 2

Outra que se ferrou foi a Mary Jane. Sonhava ser atriz quando o seu vizinho passou a agir de modo estranho, correndo pelas paredes e telhados. Brutalmente sequestrada por um maluco, viu-se diversas vezes, no espaço de poucos dias, pendurada na beirada dos edifícios mais altos e em pontes e encarando a morte em queda livre, até ser salva no último milésimo de segundo pelo vizinho que, dizem, na verdade a perseguia furtivamente. Desiludida com a carreira de atriz, traumatizada e com síndrome do pânico, mudou-se para uma pequena cidade do interior, onde trabalhou como recepcionista de um hotel à beira da estrada. Não se sabe como está hoje.



Escrito por Lárimer Daniel às 12h19
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Personagens de ficção na vida real 1

Hary Potter se ferrou... Formado no segundo grau em Técnico em Bruxaria, não teve um ano de escola sem que lhe morresse um colega ou professor... Também foi sofrendo bulling, atentados e agressões ao longo da sua vida escolar, além do assédio por parte da família adotiva. Sua formação não lhe abriu portas no mercado de trabalho. Empregou-se em funções subalternas, como auxiliar de sapateiro e outras. Poderia tentar uma carreira no show biz, mas sua lealdade aos bruxos de Hogw...ards e sua timidez fizeram-no desconsiderar a hipótese. Por falta de alternativas terminou por mandar os filhos para a mesma escola que o traumatizou. Secretamente ele gostaria de ter se mudado para um pais tropical, trabalhando ao ar livre, mas o apego de sua esposa à família e ao interior da Inglaterra também impediram essa singela compensação. Hoje não se sabe onde vive nem como está. À propósito, outro aspecto "nem-tão-feliz" da vida de Hary Potter é que a sua linda colega, por quem nutriu uma paixão platônica a vida toda, terminou por se casar com o seu feio e desengonçado melhor amigo... Hary por sua vez acabou se casando a irmã desengonçada e feia do amigo...



Escrito por Lárimer Daniel às 12h18
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Metamudança

De que me serve o que presumo...
Se não ouço o que diz o mundo?
Que me vale, o que penso que sei...
Se o vento me leva aquilo que amei?
Certeza não é sorte......
Suficiência é morte...
Feliz a procura...
Seguir a busca, sina do forte...
Que pensamento só vive...
Se pulsa e experimenta...
Se muda, se enfrenta
Forte tormenta...
Os loucos prolixos...
Na verdade são fixos...
Não mudam, não valem...
Enfim nada sabem...



Escrito por Lárimer Daniel às 11h49
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

O Ser e o Nada

O previsível não é certo... A dinâmica do real transcende a lógica... Convicção não é certeza...
A verdade está no passado... , a um milissegundo da existência... , mas perdida nos descaminhos do pensar...
A experiência revela seu sentido transcorrente... à medida que se esvai no tempo, mudando do imediato para o distante...
Os círculos não se fecham... As camadas do existente se sobre revelam infinitamente... O âmago é uma hipótese...
Pode a essência ser transitória? Pode o finito se somar infinitamente?
Vivemos num átimo suspenso... tão verdadeiros quanto o Neutrino... fugazes e irrelevantes...

Porém, se falta uma nano partícula, o Universo já não é o mesmo...

Fluídos, mínimos, indistintos e ao mesmo tempo únicos... Aprisionados entre o existir e o não existir...

Lárimer Daniel

11/10/2015



Escrito por Lárimer Daniel às 22h32
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

A Flor dos Ares

O Pássaro voa à linha do poente...
À Lua que diz: “Onde vais, flor dos ares? ”
Responde apenas, gravemente...
“Aos ventos, a contrapor os males”...

Levanta-se o Forte, que a dor enfrenta
E vendo o Pássaro, voando na corrente,
Alarga os braços, sorri silente...
“Também vou.… transpor tormenta”...

O Pássaro se embate contra o Vento...
Seu destino enredado em nó...
Alçar-se às alturas é o seu alento...
“Seguir voando... é estar só”...

O Forte vê o Pássaro rasante...
Cala a garganta, o peito arfante...
Desdobra caminhos, deserto ardente,
“Seguir lutando... é estar distante”...

Encontram-se o Pássaro e o Forte...
No calor da luta, ao sabor do Vento...
E se acolhem sob o olhar da Morte...
“Vamos agora... a qualquer momento”...

Lárimer Daniel 18/11/2015



Escrito por Lárimer Daniel às 22h23
[] [envie esta mensagem
] []


 

 

Fala . . . noite . . .

Do que falam as vozes, que viajam o vento?
Vozes dos estranhos mundos . . . dos escuros tempos...
Prantos obscuros . . . de estranho acento,
Vozes de vãos alentos . . . pelos frios campos?

Quem vaga à noite, pela relva rala?
De vestido branco, de deixar-se à sorte...
De negar a dor, que a garganta cala...
De buscar o amor... e encontrar a morte?

De quem são esses silêncios...
Entre os ramos nus, nos desfiladeiros . . .
Esses que suspiram, sobre os precipícios,
Olhos que nos fitam... gritos derradeiros?

Os vórtices caminhos . . . as ilusões tardias...
Envolto às sombras, eu voo em pensamento...
Os silêncios da noite... Aa finitude dos dias...
Aquece-me, porém, que infinito é o tempo . . .

Quando um dia estiver eu solto,
Sob a relva rala, a vagar de noite...
De vestir-me branco, de encontrar a morte...
De buscar a sorte, de fugir da dor...

Virei sozinho a falar-te à tarde...
Virei de mansinho trazer-te uma flor...
E cantarei baixinho um verso em cor...
E em minha voz, o barulho do mar...
E na sua lágrima, luz do luar...
E direi somente...
“Deixa eu ficar...”



Escrito por Lárimer Daniel às 07h55
[] [envie esta mensagem
] []


 

 
[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]